Governo do Distrito Federal

Estudantes do ensino médio recebem Prêmio Jovem Escritor

Melhores redações de simulado do Enem foram escolhidas para a publicação de um livro

Apesar da pouca idade, estudantes do Distrito Federal mostraram muito talento na hora de escrever sobre problemas e soluções para a mobilidade da capital do país. Este foi o tema do simulado do Enem organizado pela Secretaria de Educação e que serviu de parâmetro para o Prêmio Jovem Escritor deste ano.

Em cerimônia realizada nesta terça-feira (7), os autores das 100 melhores redações foram homenageados e receberam em mãos um livro com suas obras publicadas. “Fico muito feliz em pegar esse livro, abrir em qualquer página e ver a qualidade dos textos. Essa publicação contradiz aqueles que afirmam que os jovens de hoje em dia só sabem escrever pelo Whatsapp”, brincou o secretário de Educação, Júlio Gregório Filho.

Entre os mais de 20 mil participantes do simulado, a estudante Priscila Karen Raposo, de 17 anos, teve a redação classificada entre as 10 melhores. A notícia emocionou a jovem. “É muito legal ver seu trabalho impresso, reconhecido. E gostei muito do tema, pois vivemos uma época em que parece que há mais carro do que gente na rua. Assim, discutir o trânsito é essencial”, destacou a aluna do 3º ano do Centro de Ensino Médio Setor Oeste.

Ainda segundo a jovem, que deseja cursar fisioterapia, o segredo para o sucesso é a leitura constante. “A escrita se torna consequência quando se lê muito”. Além do livro, a adolescente e os outros estudantes que conseguiram as 10 melhores notas receberam também um vale compra de uma livraria no valor de R$ 400.

Parceria de sucesso

O Prêmio Jovem Escritor chegou à 3ª edição neste ano. A premiação é realizada em parceria pela Secretaria de Educação do DF, Federação das Indústrias de Brasília (Fibra) e Sindicato das Indústrias Gráficas do DF (Sindigraf-DF). Em 2015, a primeira edição foi um concurso de redação promovido pelo sindicato, que pensou em todos os detalhes: desde a escolha do tema até a correção das redações. No entanto, por ser o primeiro livro, o Sindigraf encontrou dificuldades em estimular a participação dos estudantes, já que a iniciativa teria que partir deles. Foi então que a entidade solicitou uma parceria com a Secretaria de Educação, pela facilidade de chegar a todas as regionais de ensino.

Em 2016, a Secretaria de Educação sugeriu que usassem as redações do simulado do Enem. “O Prêmio Jovem Escritor é em paralelo ao simulado, não tem nada relacionado, funciona apenas como um prêmio disso”, ressalta o presidente do Sindigraf, Pedro Henrique Verano.

Este ano, mais de 20 mil estudantes de escolas públicas e particulares participaram do Simulado do Enem. Depois da correção, a Secretaria de Educação encaminha as 100 melhores redações, que são compiladas para publicar o livro.

Criança Candanga - Governo de Brasília

Governo do Distrito Federal