Governo do Distrito Federal

DF celebra Dia Nacional do Teste do Pezinho como referência no país

O Distrito Federal é a única unidade federativa a oferecer a triagem neonatal de forma ampliada na rede pública de saúde.

O Distrito Federal tem um motivo a mais para comemorar, nesta quarta-feira (6), o Dia Nacional do Teste do Pezinho. É a única Unidade da Federação a oferecer a triagem neonatal de forma ampliada na rede pública de saúde.

 

Enquanto no resto do país o procedimento detecta seis tipos de doença, o que é preconizado pelo Ministério da Saúde, na capital federal o exame pode encontrar 30 tipos de enfermidades.

 

Segundo a coordenadora do Teste do Pezinho na Secretaria de Saúde, Juliana de Vasconcellos Thomas, esse teste faz o diagnóstico precoce de doenças que podem ser muito graves se não tratadas nas primeiras semanas de vida.

 

Na rede pública do DF, a cobertura do teste do pezinho é de 100%. Todos os hospitais da rede e unidades básicas de saúde (UBS) estão habilitados a fazer a coleta do sangue das crianças entre o seu segundo e quinto dia de vida. Por mês, são feitas cerca de quatro mil coletas.

 

As crianças que ainda não receberam alta fazem o teste já na maternidade. As que saem do hospital antes do segundo dia de vida, podem ser levadas a qualquer unidade da rede, sem necessidade de encaminhamento médico ou agendamento.

 

Em caso de resultado positivo para alguma doença, a criança é encaminhada para um segundo teste. Se confirmado, ela segue para consulta na unidade de genética, no Hospital de Apoio de Brasília (HAB), onde são solicitados novos exames.

 

Uma vez confirmada, é iniciado o tratamento com equipe de saúde multidisciplinar. Pelo menos 0,3% dos resultados apresentam algum tipo de alteração.

 

AMPLIAÇÃO – A ampliação do Teste do Pezinho no DF foi garantida em lei publicada em 2008, válida para hospitais da rede pública de saúde do DF.

 

O teste ampliado no DF é possível graças a uma tecnologia chamada espectrometria de massas, feita em um aparelho que permite analisar as amostras de sangue de 1,2 mil crianças de uma única vez e identifica 23 enfermidades. O diagnóstico das outras sete doenças é feito em outros tipos de aparelhos, de última geração, chegados à Secretaria de Saúde no ano passado.

 

Doenças detectadas no Teste do Pezinho no DF

 

Hipotireoidismo congênito

Doença falciforme e outras hemoglobinopatias:

Fibrose Cística

Hiperplasia Adrenal Congênia

Deficiência de Biotinidase

Galactosemia

Deficiência de G6PD

Toxoplasmose Congênita

Fenilcetonuria e outros 21 erros inatos do metabolismo

 

TEXTO: Alline Martins, da Agência Saúde

Criança Candanga - Governo de Brasília

Governo do Distrito Federal